Piqué ‘passa’ das mulheres na sua nova Copa Davis

Piqué ‘passa’ das mulheres na sua nova Copa Davis

Como tudo o que rodeia Gerard Piqué, não tardou em aparecer a controvérsia em torno do formato de « sua » nova Copa Davis. O jogador do Barcelona, presidente do Kosmos, chegou a um acordo com a Federação Internacional de Tênis (ITF por sua sigla em inglês) para transformar Davis em uma espécie de Copa do Mundo.

A rede social Twitter é um bom termômetro social para saber como a proposta foi recebida e, embora no início tudo foi elogio, as primeiras críticas não foram lentas para aparecer.

Uma das principais críticas foi que a competição feminina foi totalmente negligenciada. O projeto da ITF e da Piqué baseia-se exclusivamente na competição para os países masculinos, mas esqueceu de modernizar o Fed Cup, que, como a Copa Davis, exige mudanças.

Uma das vozes visíveis desta queixa foi Judy Murray, mãe e formadora de Andy e Jamie Murray. « À espera do anúncio sobre os planos para transformar o Fed Cup », ele publicou através de seu perfil no Twitter, uma crítica compartilhada por muitos.

Uma transformação necessária

A competição máxima de tênis para as equipes nacionais estava pedindo novidades há algum tempo. É cada vez mais difícil para as raquetas principais do circuito ir para as diferentes qualificações da Copa Davis para defender seus países. Um fato: na última rodada do Grupo Mundial, apenas 4 top 10 vieram com suas seleções (Cilic, Goffin, Zverev e Carreño).

A agenda apertada, juntamente com as lesões dos jogadores, torna, em muitos casos, impossível participar da competição. Concentre a competição em uma única semana e uma maior quantidade de prêmios para atrair a participação dos jogadores são os principais pilares dessa nova proposta.

Laisser un commentaire

Votre adresse de messagerie ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *